Coronavírus: Consumo consciente em tempos de estoque.

 

Coronavírus: consumo consciente em tempos de estoque. Afinal, por que é importante pensar coletivamente? 

Não se trata somente de evitar a contaminação. O que a pandemia de coronavírus tem mostrado a todos nós é a importância de pensar coletivamente.  

Você já pensou em fazer um estoque?

Fala sério, em meio a tantas notícias alarmantes, quem ainda não pensou em comprar um monte de máscaras n95, um estoque absurdo de álcool gel ou até de mantimentos? Tudo isso só para não precisar sair de casa quando a situação se agravar? 

Pois é, agora imagine centenas de pessoas indo aos supermercados com esse mesmo pensamento. 

Semana passada chegou até mim um vídeo de um supermercado na Espanha, onde centenas de pessoas se atropelavam umas às outras assim que as portas se abriram.

Elas estavam motivadas pelo pânico da situação, afinal lá os casos chegam á 2000 com 100 mortes até o momento. 

Pode-se imaginar que a atual situação de pandemia de coronavírus  mexeu com os hábitos de consumo de milhares de pessoas.  

Coronavírus: Consumo consciente pode ajudar pessoas 

A necessidade de ficar em casa gerou um procura desesperada pelo abastecimento em caráter de estoque. 

Por exemplo: Quem comprava um litro de leite por semana, temendo não poder encontrar o produto nos próximos dias, passou a comprar dez vezes mais do que o necessário e de uma única vez. 

Mas como isso impacta o mercado e, o mais importante, como isso interfere na vida das pessoas que não podem comprar dez litros de leite num único dia? 

Coronavírus e o estoque. 

Outro exemplo disso é o álcool em gel. 

 A procura pelo produto e a compra em larga escala levou a uma falta de álcool em gel em diversas farmácias, em outras vemos a elevação exacerbada dos preços. 

O que quero dizer é que tudo isso faz com que, quem mais precise dessa proteção, ou seja, pessoas que dependem do transporte público diariamente, ou as populações de renda mais baixa, não tenham acesso a compra. 

 E quando uma grande multidão de pessoas não pode se proteger, o resultado é o espalhamento mais rápido do vírus. 

Aliás, na última semana o porta voz da presidência da república, Otávio Rêgo, fez um comunicado. Na coletiva o general destacou as políticas do governo brasileiro para assegurar a proteção das pessoas de renda mais baixa nessa época de crise. 

 Eu falei mais sobre esse assunto em um artigo lá no linkedin, que você pode conferir através desse link. 

 

Vamos pensar coletivamente? 

Em tempos de estoque é importante se manter abastecido, mas a compra desenfreada precisa ser repensada. 

 Em países como os Estados Unidos onde as fronteiras para a Europa foram fechadas, a falta de matéria-prima para a produção de alguns itens pode de fato afetar a economia nos próximos meses.

Isso quer dizer que, por lá, essa política pode deixar as pessoas sem alguns produtos, mas isso pode não acontecer no Brasil. 

 Mas essa realidade pode ser um pouco diferente por aqui. 

É que o Brasil é produtor de boa parte do que consome e, dessa maneira poderemos encontrar por aqui alimentos e produtos essenciais sem que haja a necessidade de pânico nem corrida ao supermercado. 

Vamos cuidar uns dos outros e garantir que essa crise passe por nós deixando o mínimo de sequelas possível.   

Bjs 

Cris Arcangeli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você Também Pode Gostar