Empreender por esporte esse é o caminho do sucesso

Empreender por esporte, você já pensou sobre isso? 

Antes de mais nada, pense comigo: Se todos os empregos pagassem exatamente o mesmo salário, com o que você gostaria de trabalhar? 

E se o salário não influenciasse sua escolha? 

 E se as horas trabalhadas fossem exatamente as mesmas em todos os empregos? 

Bem, essa questão já é uma velha conhecida no setor de gestão de carreira, mas hoje eu quero ir um pouco além, minha pergunta é:  

Num mundo hipotético em que… 

  1.  Todos os nichos oferecessem a mesma lucratividade e… 
  1. …Para abrir um negócio você tivesse que investir o mesmo valor em qualquer setor. 

 Em qual segmento você decidiria criar a sua empresa? 

Pensar sobre essa questão é importante, principalmente para quem está prestes a empreender. 

Afinal aqui, no mundo real a lucratividade varia muito. 

Entender quais são os fatores que interferem nessa lucratividade não apenas é um diferencial que já aumenta significativamente as chances de sucesso de qualquer empreendedor. Como também de crescimento pessoal.

Empreender por esporte? 

Então vamos voltar a questão sobre qual setor você gostaria de trabalhar. 

 E para isso precisamos pensar se, afinal, você realmente ama o que você faz?  

Existe uma causa no que você realiza? Ou você quer empreender apenas por dinheiro? 

Veja bem: Quando alguém diz que “faz algo por esporte” essa pessoa é sempre interpretada como alguém que exerce determinada coisa sem uma causa muito forte. Como se fizesse aquilo por prazer e que esse prazer não significasse muita coisa. 

Mas na verdade é exatamente o contrário, pelo menos pra mim. 

Só para exemplificar, eu vejo o esporte como um verdadeiro aprimoramento e não só no sentido físico.  

O esporte ensina a lidar com questões importantes como saber perder, atuar em equipe e muito mais. 

Afinal, não é à toa que se aplicam disciplinas como a Educação Física nas escolas, não é? 

Aliás, você já reparou que muito do que a gente precisa para ser um empreendedor bem-sucedido dá pra desenvolver na prática de esportes? 

  •  Foco; 
  •  Resistência à dor; 
  • Flexibilidade; 
  • Resiliência; 
  • Apetite por desafios; 
  • Competitividade; 
  • Determinação. 

Esses são, para mim, os pilares do empreendedorismo e quem consegue desenvolver essas habilidades tem, acima de tudo, um forte potencial para ser um empreendedor de sucesso. 

 

Ter um negócio de sucesso é trabalhar por amor. 

Além disso, você sabia que a sua lucratividade tem tudo a ver com a forma com que você se dedica? 

Quando você mergulha de cabeça nos seus processos da sua empresa, quando se interessa por cada informação, gráfico, resultado e oscilação do mercado, você está gerindo o seu negócio com amor, e isso faz toda a diferença lá na frente, num ponto chamado: gráfico de crescimento. 

Pois é, para ter resultados incríveis no desenvolvimento do seu negócio não existe outro caminho senão o da dedicação. 

Ao mesmo tempo, fala sério, dá pra se dedicar de corpo e alma em uma coisa que você não ama? 

Difícil, né? 

      Empreenda por amor. 

Em resumo: A sua paixão move você na direção do seu sucesso, então faça o que você acredita.  

Sendo assim, mergulhe no que você ama. Dedique-se, faça de tudo para ganhar cada vez mais aptidões. 

 Aprimore suas habilidades! 

Afinal, quem ama o que faz, não fica contando os dias para o fim de semana.  

A gente aprende mais, investe mais, se dedica mais e consequentemente sai na frente.  

É, ou não é? 

Viu só? Empreender por esporte é treinar para o sucesso! 

E se você quer receber mais conteúdo relevante para a sua vida e os seus negócios, não perca nenhuma atualização aqui do meu blog. Aliás, me siga também nas redes sociais @crisarcangeli.  Seja como for, não deixe de acompanhar as minhas novidades!

Beijos! 

Cris. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você Também Pode Gostar

Todos os Empreendedores precisam ler isso

Problemas com a gestão podem prejudicar muito o seu negócio. Para se ter ideia, segundo o SEBRAE, a taxa de mortalidade de empresas nos primeiros dois anos de atividade é de 26,9% no Brasil. Em alguns estados, a situação se agrava. Entre os motivos dessa mortalidade estão graves erros de gestão.