Modelo de Franquias

Conhecer o modelo de franquias intimamente é uma etapa importantíssima para quem pretende investir e abrir sua própria franquia.

Existem muitas opções de franqueadoras que oferecem ao mercado marcar bem-sucedidas. No entanto, se o franqueado não entende o modelo de franquias, ele pode simplesmente falir.

Adquirir uma franquia é muito diferente de abrir um negócio próprio no qual você é o único dono da marca. Por isso mesmo, se está pensando em iniciar sua primeira franquia, é fundamental conhecer o modelo de negócios antes de investir!

Como funciona o modelo de franquias?
Profundamente difundido ao redor do mundo, o modelo de contrato de franchising surgiu nos Estados Unidos e foi absorvido ao redor do mundo.

Nesse modelo de negócio o franqueador é uma pessoa jurídica detentora de uma marca e permite por meio de contrato o uso de sua marca.

O franqueado é uma pessoa física ou jurídica que adquire o direito de uso da marca e se beneficia de algumas vantagens. Mas sempre precisa se atentar aos seus deveres enquanto franqueado.

Este é um modelo benéfico para ambas as partes envolvidas. Afinal, através desse modelo de franquias a marca consegue se difundir pelo país sem o uso de recursos próprios.

Enquanto o franqueado aproveita da fama e reconhecimento da marca para iniciar um negócio que possui certas “garantias” de sucesso.

É um formato de negócio já testado
Um dos grandes atrativos do modelo de franquias é justamente que o formato de negócio já é conhecido e testado.

Antes de uma marca se tornar franqueadora ela cria seu próprio modelo de atuação, o que faz com que a empresa crie regras para cada modelo de franquia.

Em geral, uma só marca permite que o franqueado opte por diferentes modelos de negócios. Por exemplo: dentro de um shopping pode haver um Burger King e vários quiosques da marca.

O quiosque possui operação diferenciada em relação à unidade maior. E cada um dos pontos da franquia deve atender às regras da franqueadora.

Tudo isso para que os consumidores possam usufruir de bens ou serviços com atendimento e qualidade padronizados.

Quando um produto é lançado no Burger King do Rio Grande do Sul, ele também estará disponível dentro do mesmo padrão na outra extremidade do país.

Existem diversos modelos de franquias
Atualmente no Brasil, existem diversos modelos de franquia e cada um deles possui características específicas. Sendo importante que o empresário que deseja se tornar um franqueado estude o negócio ao qual deseja se associar.

É importante conhecer a proposta da empresa e quais são as regras para se tornar um franqueado. As franquias vão muito além das redes de fast food conhecidas em todo o país, existindo por exemplo:

· Franquia industrial;

· Franquia de comércio ou de distribuição;

· Franquia de serviços.

A operação de franquia é regulamentada pela Lei nº 8.955/94, que determina os detalhes contratuais desse tipo de relação.

Vale a pena investir em uma franquia?
Depende! Essa é uma resposta muito complexa pois muitas informações precisam ser consideradas.

É importante considerar o seu capital inicial para investimento, seus objetivos como empresário e estudar o mercado na sua região.

Muito embora as novidades geralmente façam sucesso no início, essa curiosidade não é mantida a longo prazo. Se o mercado da cidade não é capaz de absorver o produto ou serviço da franquia, provavelmente a franquia não será lucrativa no médio e longo prazo.

Para ter certeza de que a sua franquia trará retorno financeiro, é importante avaliar o mercado e identificar se a marca será bem aceita.

Corro risco de ter prejuízo pela empresa reaver a franquia?
Um receio muito comum na hora de investir em modelos de franquia é justamente o medo de que a franqueadora queira interromper o contrato.

Em geral, os contratos pactuados em franqueador e franqueado são estabelecidos por prazo indeterminado. De modo que o franqueado possa investir no negócio sem o receio de ter o contrato interrompido abruptamente.

No entanto, para dar ainda mais segurança a esse contrato o franqueado pode contar com o disposto no art. 473 do Código Civil.

De acordo com o artigo o contrato deve ser mantido caso uma das partes tenha feito investimento considerável.

Portanto, não existe o risco de que o franqueado tenha qualquer tipo de prejuízo por interrupção contratual.

Qual a diferença entre abrir uma franquia e um negócio próprio?
Existem muitas diferenças entre investir na abertura de um negócio no modelo de franquias e investir na abertura de uma empresa que é novidade no mercado.

Quem investe em ter sua própria franquia paga várias taxas e se submete ao franqueador que é o proprietário da marca. Sendo também quem define quais são as diretrizes a serem seguidas por todas as franquias.

Essas regras são rígidas justamente com o objetivo de manter todas as franquias dentro de um padrão de qualidade e atendimento.

Diferentemente de investir em abrir seu próprio negócio, que é uma marca administrada por você, onde suas regras são aplicadas.

Reconhecimento de marca
Um fator que faz total diferença na decisão entre abrir uma franquia ou uma marca nova é o reconhecimento por parte do público.

Quando a notícia de que uma grande franquia irá inaugurar na cidade se espalha, o empresário tem a certeza de que terá uma procura acima da média nos primeiros dias de funcionamento.

Portanto, o negócio tende a já inaugurar com um certo sucesso na procura. Diferentemente de iniciar uma nova marca, completamente desconhecida pelo público.

O que requer maior investimento na divulgação dessa inauguração para que as pessoas conheçam a marca e possam se tornar clientes da empresa.

Taxas e custos
Outra grande diferença é que as taxas e custos mensais de uma franquia tendem a ser mais elevados. Uma vez que é preciso pagar taxa de franquia, taxa de marketing e royalties sobre o uso da marca.

Enquanto a sua empresa que é fundada com a sua ideia inovadora é isenta desse tipo de taxas. O ideal é que tudo seja considerado e avaliado antes de decidir qual é o melhor modelo de negócio para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você Também Pode Gostar

Todos os Empreendedores precisam ler isso

Problemas com a gestão podem prejudicar muito o seu negócio. Para se ter ideia, segundo o SEBRAE, a taxa de mortalidade de empresas nos primeiros dois anos de atividade é de 26,9% no Brasil. Em alguns estados, a situação se agrava. Entre os motivos dessa mortalidade estão graves erros de gestão.